CALDO D/E (DEY-ENGLEY)

CALDO D/E (DEY-ENGLEY)

Postado por: Êxodo Cientifica - 1 mês

Os produtos farmacêuticos, cosméticos, amostras tratadas com antissépticos, superfícies sanitizadas e amostras que passaram por algum tratamento com algum desinfetante, precisam de um preparo especial para poder analisar os parâmetros microbiológicos.

Tais produtos e superfícies tratadas possuem em sua composição ou apresentam resquícios de  componentes com atividades antimicrobianas (que fazem parte da composição de um medicamento por exemplo ou que se encontra depositado em uma superfície tratada com algum desinfetante). Estes compostos devem ser neutralizados antes da execução dos testes, para que o crescimento microbiano não sofra interferências.

Outro fator de suma importância é ter o conhecimento das capacidades antimicrobianas dos diferentes analitos. Estas devem ser neutralizadas antes da execução dos testes, para garantir que o crescimento microbiano não seja prejudicado. Nos casos de monitoramento ambiental,  é importantíssimo saber quais inibidores estejam presentes das salas classificadas do local (seja a superfície, pontos de coleta ou qualquer outro local), onde há constante uso de agentes bactericidas e bacteriostáticos.

Certos meios de cultura já possuem certos neutralizantes inseridos na sua formulação. Dentre estes, vamos citar os três mais empregados: Caldo Dey- Engley (Caldo D/E), Caldo T.A.T, Caldo Letheen.

Na publicação de hoje (PARTE I), falaremos sobre o Caldo Dey Engley

 

  1. M1062 CALDO NEUTRALIZANTE DEY-ENGLEY (D/E)

O Caldo Neutralizante Dey-Engley (D/E) é formulado de acordo com o procedimento descrito por Dey e Engley (referencia). Este meio se adequa perfeitamente para análises ambientais onde o processo de neutralização de componentes químicos presentes nas amostras sejam essenciais para a determinação da atividade bactericida e para que se possa inativar tais componentes a fim de detectar e quantificar microrganismos. A grande capacidade bacteriostática destes componentes inibem o crescimento bacteriano e impedem a capacidade reprodutiva  bacteriana sem que ocorra a morte (neste estado dizemos que os microrganismos se encontram injuriados. Porém estes mesmos microrganismos tem a capacidade de causar infecções em condições favoráveis.

O caldo D/E é utilizado em diferentes  testes:

I-                    Neutralização de Produtos Farmacêuticos

O caldo D/E da Marca Himedia (Código  M1062) atende em sua composição a formulação de acordo com a Farmacopeia Brasileira 6ª Edição (2019), onde, para a maioria dos casos, o material a ser analisado é neutralizado sendo que o diluente e  a amostra seguem a proporção  de 10:1 e após esta etapa de neutralização o roteiro analítico é seguido de acordo com as análises a serem realizadas.

 

II-                  Avaliação da capacidade Neutralizante  de Sanitizantes

Para testes que avaliam a capacidade neutralizante e a dosagem da concentração mínima para que ocorra a neutralização, deve se utilizar o Caldo Neutralizante  D/E já citado (Código M1062)  + o  Caldo D/E Base que não possui os agentes inativantes (Código M187). Ao realizar este teste, pode se utilizar concentrações diferentes de sanitizante, onde é adicionado 1 mL de sanitizante em 9 mL de Caldo D/E e Caldo D/E Base. Aguardar 15 minutos e Inocular uma amostra bacteriana proveniente de um caldo nutritivo não seletivo  (diluir a amostra bacteriana 1:100.000 e inocular 100µL desta suspensão em cada um dos tubos contendo as duas formulações do Caldo D/E. Inocular por 48 horas. Havendo crescimento no Caldo Neutralizante  D/E (Código  M1062) e ausência de crescimento no caldo D/E sem neutralizante indica que houve a neutralização do sanitizante ( a ausência de crescimento no tubo  contendo o Caldo D/E Base indica a inibição do sanitizante). Havendo crescimento no tubo do caldo D/E Base em os inibidores indica que a concentração de sanitizante é incapaz de inibir os microrganismos.

Obs.: A visualização de crescimento bacteriano no caldo D/E é visualizado através da mudança de cor para amarelada e/ou formação de uma película na superfície do meio.

O Caldo D/E possui em sua composição Triptona que serve como fonte de nitrogênio e fonte de carbono, aminoácidos de cadeia longa, vitaminas e outros nutrientes essenciais. Dextrose é a fonte de energia. Extrato de levedura atua como um aceptor de vitaminas do complexo B.

Como agentes neutralizantes o caldo D/E fornece os seguintes inativantes  que atuam sobre as classes de compostos:

O púrpura de Bromocresol adicionado na formulação é um indicador da fermentação da glicose presente no meio.

FICA A DICA:

  1. Geralmente em meios de cultura líquidos (Caldos), a turvação  observada é um indício de crescimento. Porém no caldo D/E essa visualização da turvação não deve ser levada em consideração pelo fato que a quantidade de lecitina presente no meio ( 7,0g/L) por si só já causa uma certa turvação no caldo. Levar em consideração a mudança de cor para amarelo e no caso de microrganismos que não fermentam a glicose, observar a formação de uma película que se forma na superfície do meio.

 

  1. A Farmacopeia Americana (USP) cita sobre o Caldo D/E. Porém a formulação do mesmo é levemente distinta pois de acordo com a formulação adotada pela USP o caldo D/E não possui o Púrpura de Bromocresol.

Deseja comprar esse produto? Envie um e-mail para:
contato@exodocientifica.com.br

WhatsApp Comercial
Enviar